visite outros bloggs requeri: assadeira manga chupada

domingo, março 30, 2008

kundun by martin scorsese

por isso é que eu só confio em arte.

kundun, como os tibetanos tratam o dalai lama e que significa, a presença, é o título de um scorsese de 1997, baseado no roteiro escrito por melissa mathison - ex-mulher de harrison ford - que conta a vida do dalai lama número 14, líder político e espiritual do tibet, país ocupado, há décadas, pelo governo comunista da china. scorsese e mathison não puderam entrar no tibet para gravar cenas do filme. além disso, devido à realização de kundun, eles entraram para a lista negra do governo da china, que contém nomes de pessoas proibidas de entrar no país usurpado.

o filme é dedicado à atriz preferida de scorsese, catherine scorsese, sua mãe, que morreu durante sua pré-produção.verdades mentirosas ou mentiras verdadeiras à parte, o filme narra os acontecimentos que envolvem o tibet, após 1933, depois da morte do décimo-terceiro dalai lama, e mostra o encontro, quatro anos mais tarde, em uma remota área do tibet, de um menino de dois anos, que é identificado como a reencarnação de dalai lama, o buda da compaixão.
o garoto é levado para lhasa, onde é submetido a rigoroso treinamento. quando tem 14 anos passa a enfrentar os problemas com a china, nação que pretende tomar posse do tibet e é obrigado a fugir para a índia, assim que a invasão chinesa se concretiza.
cada cena é mostrada com inesquecível beleza.
com um elenco, na maioria de não atores, somado à fotografia de roger deakins – eterno colaborador dos irmãos coen - e à edição da thelma schoonmaker, parceira irrestrita de scorsese, kundun é um dos grandes momentos do cinema do planeta, mormente pelo abraço envolvente que recebe da música de phillip glass.
a verdade é que não poderia ter sido outro, o responsável pela soundtrack da obra. é o que se pode avaliar como, a união perfeita: tibet, scorsese, phillip glass.
recebeu e, fosse eu dona do negócio teria ganho todos os prêmios, 4 indicações ao oscar por melhor direção de arte, melhor fotografia, melhor trilha sonora de drama e melhor figurino.

senta que lá vem a história!!!
sabe que no tibet é tudo muito engordurado??? esta prática mantém a quentura do corpo, ajuda a afugentar a friagem. se não pelo frio, eu ficaria pouco à vontade por lá, pois, os tibetanos gostam de uma danada de uma bebidinha, e insistem em oferecê-la à visita que eles querem que volte à sua casa, feita à base de manteiga.
é um chá ...
é um chá de receita peculiar, salgado, que inclue a erva do chá verde, leite de iaque e manteiga também de iaque. devido ao fato da erva vir da china em forma de tijolos, a tarefa de fazer chá é uma verdadeira arte alquimista, de preparo complexo e que pode durar horas ...
macerado o tijolo, a erva é colocada num caldeirão cheio com água fervendo e se mantém ali por longo tempo, até que o chá reduza e fique concentrado. o chaku, como é chamado, é o resultado dessa fevura demorada e é a base do chá tibetano.
agora vem a pior parte: o chá que vai ser servido e bebido pelo tibetano e seus convidados agrega, em uma chaleira de água fervendo, aquele concentrado, leite de iaque, sal e manteiga de leite de iaque.
continuo preferindo sentir frio.
um cantinho sombreado e um chão coberto de neve é onde o iaque prefere descansar seu esqueleto gorduroso, pois, se não for assim, o bos grunniens se enterra no chão pra criar uma cama bem fresquinha pro seu repouso. esta é uma das características do animal, um bovino selvagem asiático, que fornece seu leite para o preparo do chá tibetano.

5 comentários:

Mara* disse...

mesmo focando a solidão extrema, o filme é uma beleza, agrada desde ao mais exigente dos racionais até o coração mais necessitado. scorcese entrou na lista negra do governo chinês, mas valeu a pena e a indicação aos oscars.

daí lembrei daquela bobagem que aborda o mesmo tema, mas com a criança sendo americana, tinha que ser!

requeri disse...

qual bobagem???

requeri disse...

ô doido!!! curiosidade me dá urticária ...

Mara* disse...

a grande bobagem de bertolucci com keanu reeves e bridget fonda, o pequeno buda...até os grandes mestres tropeçam, ninguém é perfeito.

requeri disse...

quer saber??? é tão insignificante que nem lembrava da existência ... é que a gente tem o péssimo hábito de achar que quem faz tudo de bom não pode fazer merda. ledo engano!!! mas tem gente que gostou ...

 
Template by Mara*
requeri/2010