visite outros bloggs requeri: assadeira manga chupada

sábado, junho 07, 2008

reuniões e uniões rockeiras

não deixem de click ... click nos unidos da midnight blue.

os caminhos do rock'n roll começaram a ser traçados, na década de 30, pelas cordas do violão de robert leroy johnson, o músico responsável pela definição do som que seria uma das bases do blues moderno e do rock'n roll. diz a lenda que numa encruzilhada, ao norte do delta do mississipi, numa união com o diabo, este lhe concedeu perfeição, maestria e uma técnica apuradíssima com as cordas da guitarra, em troca de sua alma. foi uma carreira curta, com tempo suficiente pra gravar 40 músicas em estúdio e uma num programa de rádio, a kind hearted woman.
sua morte, aos 26 anos, dizem, foi por envenenamento. uma mulher abandonada, ou um marido enganado inseriram naftalina ou estricnina em seu whisky. quem estava lá não hesitou ao dizer: morreu uivando, como um cão danado.
de lá em diante, ouvimos
lucille falar, eric clapton tocar com as maõs de d'us, george harrison tocar nas nuvens, qualquer guitarra do mark knopfler cantar com ele e vimos, extasiados, uma guitarra parir jimmy page dentro de um estúdio.
de lá em diante estremecemos com as baquetas conduzidas pelas mãos de michael shrieve, phil collins ou ray cooper compassando a união de elton john, mark knopfler e clapton. de lá em diante fomos levados pelos dedos de
leon russel, um autêntico supersession man, a acariciar o teclado de um piano.
de lá em diante, foram as vozes de
renato russo, plant, andré matos, roy orbison, mama cass, karen carpenter que nos ensinaram como seguir o som desse tal rock'n roll que balança e afaga o planeta há muito mais de meio século, vindo do canadá com karkwa ou neil young, da alemanha com klaus meine do scorpions ou da inglaterra com david bowie, o camaleão do rock ou genesis ... realy fantastic!!!
os músicos do rock, muitos, todos transitam em harmonia pelos cantos, cantorias, palcos e beirais do universo.
... e assim vamos nós.
a história do rock, simples, rica e excêntrica é repleta de subestórias, de parcerias nunca imaginadas, de trocas de bandas, de mudanças incontáveis, de razões racionais e irracionais, de rivalidades falsas e verdadeiras, de competições salutares e profícuas, de uniões e desuniões em família.
fui lá pro final da melhor década, a de 1960, lembrar de uma reunião que o rock proporcionou e que, perdoem o trocadilho, gerou filhotes.
the cowsills uma família ... a mãe e um punhado de irmãos, todos musicais, formaram uma banda que durou, do final dos anos 60 ao início da década de 70 ... quatro deles, sonhando em ser beatles, formaram the cowsills com billy (1948/2006) na guitarra, bob no órgão e guitarra, barry (1954/2005) no baixo e john na bateria. foi o começo. a eles se juntaram, depois, a mãe e os outros irmãos.
a inusitada reunião familiar resultou num seriado na tv americana
the partridge family que, para nosotros, chegou como a família do, ré, mi, e era um sonho alimentado no interior da maioria das cabeças adolescentes daqueles cantarolados anos dourados.
ouçam algumas canções da the cowsills que selecionei ...
indian lake, captain sad and his ship of fools e the rain the park and other things, não esquecendo de pensar na influência que os beatles exerciam sobre the musical family.
comuns e curiosas, as reuniões familiares tornam o rock'n roll ainda mais
especial ...


bee gees

edgard e johnny winter ... aqui, em 1972

the jackson five, aqui e aqui

the carpenters

no decorrer dos anos 60 e 70 muita música aconteceu escutei muito, muita alegria eu senti, cantei junto, dancei, namorei e sonhei demais.
até que um dia, toda aquela gente encantadora, ou parte dela, achou por bem me fazer algumas surpresas e se reuniu em 1985, pelo movimento usa for africa, quando 45 músicos, maestrados por quincy jones, cantaram we are the world. a primeira vez que ouvi, não acreditei, cada voz descoberta era um prazer, todos juntos, eu nunca poderia imaginar melhor.

um tempo depois, em 1988, foi a vez de george harrison - o melhor beatle, jeff lynne - o melhor arranjador e inventor de som do rock, bob dylan - o compositor do século XX, tom petty - o mais novo dos cinco e roy orbison - a voz do rock, reunirem-se em torno de suas guitarras e soltarem uma só voz, como os traveling wilburys.

traveling wilburys foi uma superbanda que vendeu disco pra caramba e nunca realizou show em palco algum do planeta.
como nada no rock pode passar se não tiver uma estória ousada, divertida ou curiosa pra ser contada aos netos, a banda era formada por 5 personagens interpretados por 5 dos melhores músicos da música, george harrison como nelson wilbury, bob dylan como lucky wilbury, tom petty como charlie wilbur jr, roy orbinson como lefty wilbury e jeff lynne como otis wilbury. eram nomes fictícios retirados de seus próprios nomes, como se fossem meio irmãos, filhos de charles truscott wilbury.
o acaso, uma brincadeira foram a situações que os uniram.
jeff lynne produzia roy orbison e george harrison. os três ensaiavam juntos e não tinham onde gravar. bob dylan resolveu a dificuldade emprestando o estúdio e, fechando o circuito, um dia george esqueceu a guitarra na casa de tom petty. voltou de lá, com a guitarra e com o amigo.
a festa estava armada, e os cinco gostando muito de tocar juntos. em março de 1988 gravaram um disco que seria o primeiro, espetacular, perfeito e foi a conta para eu ter certeza de que acreditar no rock'n roll foi a melhor opção musical que eu poderia ter feito.

no final daquele ano, morreu roy orbison. o segundo álbum não aconteceu. após o primeiro veio o terceiro ... coisa de astro, uma dessas gracinhas que só os do rock'n roll podem fazer ... mas, mesmo assim, já tinha perdido a graça.

3 comentários:

Luiz Lailo disse...

Uni-duni-tê, salamê-minguê, vou escolher esse daqui. É o Gênesis, acho que escolhi bem. Olhe esta página. Em destaque o primeiro disco que comprei do Gênesis, "A Trick of the Tail". Lá embaixo outros discos. Vire a página. Comprei-os todos, à exceção dos três últimos. Depois vem o YES. Close to the edge foi a primeira bolacha que comprei deles.

requeri disse...

então ... se sou eu, a escolha recairia num que não conheço. uma sugestão poderia ser o segundo link, aquele que corresponde à kind hearted woman. vc poderia ter uma idéia de onde e como tudo começou. genesis eu tenho tudo, mormente os do começo, peter gabriel, yes, idem, todas as fases, começos e recomeços. até aqueles que os preciosistas deploram.

requeri disse...

much thankful! I was happy and proud with its commentary. who is you? I would like to know.

 
Template by Mara*
requeri/2010