visite outros bloggs requeri: assadeira manga chupada

quarta-feira, julho 09, 2008

barclay james harvest

este post estou tentando escrever desde o 9 de julho. um pouco mais de horas vagabundas, ajudariam a finalizar. entremeios, concluo ... foi bom, pois, só assim consegui esticar sua inauguração para hoje, dia mundial do rock'n roll, 13 de julho. rock não é só música, é pensamento, é gesto, é moda, é comportamento, é espírito, é mudança, é a minha paixão eterna ... rock é tudo.

no dia mundial do rock'n roll - apesar de todo dia ser dia de rock'n roll - das melhores inglesas ... click ... click in black.


rock inglês, symphonic & melodic, com influência folk progressiva, anos 60.
não tem, pra mim, nada melhor do que o rock inglês, e uma banda nos moldes da barclay james harvest.

em verdade lhes digo: o rock'n roll é inglês ... só esqueceram de dizer que precisava atravessar o oceano e fincar bandeira na ilhota que abriga um certo reino.

sem mais delongas ... escolha, ouça e leia


de oldham, lancashire, no lado noroeste da inglaterra, john lees e stuart *woolly* wolstenholme criaram uma das melhores e mais inglesas bandas dos anos 60.
ela é uma das mais estáveis, apesar da sua origem marcada por alguns junta/larga de outras bandas de formação inconsistente, não profissionais, os heart and soul e os wickeds/blues keepers e de um sexteto que conservou o nome wickeds.
da dissolução final, constituída pela debandada de dois elementos,
les holroyd e mel pritchard foi firmada a união com john lees e stuart *woolly* wolstenholme, e o quarteto barclay james harvest se acentou como banda, tendo seu nome escolhido a partir do sorteio que incluia outros nomes escritos em papeizinhos colocados num chapéu.
john crowther, o empresário da banda, levou os músicos pra uma fazenda em uma quinta do 18th century chamada,
preston house, localizada em lancashire, onde escreveram e ensaiaram.
seu estilo de vida espartano foi capturado em um curto filme documentário feito para a tv granada.
o primeiro contrato foi com a emi internacional mas, em 1969, devido a mudanças internas na gravadora, criaram a etiqueta
harvest.
na inglaterra o sucesso firmou com seu segundo album once again e, em 1977, a barclay james harvest chegou ao coração do mainstream com o álbum, gone to earth.
em 1979 wolly wolstenholme deixa a barclay carregando consigo o som de seu melotron setentista e é substituído por kevin mcalea - vocal, teclado e saxofone - e colin browne - vocal, guitarra e teclado. o futuro de wolly estava escrito nas estrelas e fez o músico brilhante, depois de permanência breve à frente do maestoso, trocar o som de vozes cantantes, guitarra, baixo e bateria por bucólicos sons de vaquinhas, carneiros e cabras a pastar nos gramados de uma fazenda.
agosto de 1980 ficou marcado por um esplendoroso concerto em berlim ocidental assistido por 200 mil pessoas. o show foi gravado e deu origem a um álbum ao vivo, o concert for the people transformado no maior êxito da banda, permanecendo por dois anos no top inglês.
mais alguns discos e, em 1988, outro concerto em berlim oriental transformou-se no álbum glasnost, ao vivo.
em 1995, no 25.º aniversário da banda de extensa
discografia, a
liverpool dos besouros cantantes foi palco de um show que apoiou a coletânea the best of barclay james harvest que tem como uma das faixas, life is for living.
dali pra frente, foram registrados alguns trabalhos mas, em 2002, a banda reedita their first álbum e once again revestidos por outra roupagem e orquestrados pela sinfônica de londres.

no final do ano de 2003 foi pras bancas uma edição do concerto gravado, ao vivo, em 2002, na cidade alemã de bona.

em 2004 morre mel pritchard, subitamente e a original barclay james harvest, line-up, continua com os discos e as tournées popularizando-se, principalmente em alemanha, frança e suiça.

diz a estória: no primeiro dia do mês de fevereiro de 2004, morreu melvyn paul pritchard de oldham. entender que a música era importante, ele começou, desde o dia em que retirou o acordoamento do banjo de seu pai, por achar que o som melhorava muito sem elas. sua influência musical encontrou em simon e garfunkel, john lennon, the band, carmine appice, jeff porcaro. seu gosto mundano limitava-se a ficção científica, squash e a assitir às partidas de futebol.
com a morte de pritchard, a banda, reduzida a três elementos, passou a ser john lees' barclay james harvest.

destaco os seguintes, como ótimos álbuns da banda.
se a população visitante discorda, pode acrescentar ou modificar a relação, deixando sua preferência num comentário que será publicado:

barclay james harvest (1970)
once again (1971)
and other short stories (1972)
baby james harvest (1972)
everyone Is everybody else (1974)
time honoured ghosts (1975)
gone to earth (1977)
live tapes (1978)

bons momentos ...

poor man's moody blues

child of universe

child of universe ... outro dia

that was then, this is now

john lees barclay james harvest

john lees interview

vanessa simmons




5 comentários:

Vitinho disse...

Olá ! Grande post este !
Excelente !
Sou Fã numero 1 desta excelente Banda.
Bjcas.

mara* disse...

mesmo o rock tendo suas raizes em terras de tio sam, não há nada melhor que o rock inglês, sem dúvida nenhuma. e esse deve ser o sentimento da maioria. na minha opinião, seria unanimidade, se as bandas americanas creedence e doors e a canadense rush fossem inglesas.

beijaço

mara* disse...

mesmo o rock tendo suas raizes em terras de tio sam, não há nada melhor que o rock inglês, sem dúvida nenhuma. e esse deve ser o sentimento da maioria. na minha opinião, seria unanimidade, se as bandas americanas creedence e doors e a canadense rush fossem inglesas.

beijaço

requeri disse...

o rock É inglês ... rsrsrrs .... é que esqueceram de dizer que tinha que atravessar o oceano e começar tudo naquela ilhota ....

Anônimo disse...

Hi Very funny post...

 
Template by Mara*
requeri/2010