visite outros bloggs requeri: assadeira manga chupada

sexta-feira, setembro 05, 2008

roy buchanan, espetacular, ausente há 20 anos

não custa repetir, sempre: ao músico de rock não deveria ser permitido envelhecer, não deveria ser permitido morrer.

um tutorial que servisse de orientação pra músicos do rock'n roll serem reconhecidos como fabulosos, sensacionais, incríveis, e se tornarem uma lenda, deveria conter algumas regras, como: seja um virtuoso, desenvolva uma técnica extraordinária e um estilo único que sirvam de exemplo pros que vierem depois de você, personalize e batize a sua guitarra, seja tímido, leve uma vida esquisita, e morra de modo estranho.
mas alguns, mesmo que cumpram todos os quesitos, não caem nas graças da fama e permanecem desconhecidos.

extraordinário, roy buchanan nascido em ozark, arkansas, foi criado em meio ao ambiente religioso de filho de um pastor evangélico, e sua musicalidade resplandeceu daí.
a música gospel foi a primeira que acariciou seus tímpanos.
é possível concluir que seu estilo único de tocar guitarra foi cultivado naquele ambiente, senão vejamos, por que seria possível comparar seu modo de tocar, com o pregar de um pastor??? ambos os sons iniciam baixo e calmamente mas, com o passar do tempo, se avolumam ficam mais velozes e a platéia fica extasiada, alucinada, completamente envolvida.
um dos valores incontestáveis desses ambientes religiosos nos usa é representado pela música. muitos músicos americanos são fruto daquele ambiente.

aos 9 anos, o pai de roy buchanan lhe deu uma rickenbacker vermelha.

senta que lá vem estória:
a rickenbacker é tão importante quanto a fender. paul maccartney tem um baixo rickenbacker, john lennon tocava numa guitarra rickenbacker e o chris squire, baixista - o maior do mundo - do yes toca um baixo rickenbacker 4001 melódico, agressivo, dinâmico, do seu jeito. os ajustes que chris squire/yes utiliza dão ao seu rickenbacker um timbre inédito, especial. nos primeiros discos do yes, através do dedilhar de chris squire, é possível saber o impacto que causou a chegada dos lendários baixos rickenbacker, ao ambiente rockeiro do planeta. os primeiros baixos rickenbacker foram lançados no final dos anos 50.

roy buchanan, de posse de sua guitarra, foi ter aulas com a professora sra. clara louese. curioso o que se passou entre eles: guitarra, aluno e professora. passados 3 anos de aulas, clara louese chorou ao saber que roy não sabia ler partitura musical e que, portanto, tocava de ouvido. sua técnica excepcional e seu virtuosismo poderiam ter-se desenvolvido a partir disso???

roy buchanan gostava do palco e o público não perdia as apresentações onde se misturava criatividade, prazer, som incrível e aplausos ...

como bom prodígio musicista, aos 12 anos, ele tocava feito gente grande, e achou que poderia ter uma banda, a the waw keen valley boys de fama insuficiente e curta duração. insistiu e, com 16 anos, ao lado de spencer dryden, do jefferson airplane, formou a heartbeats mas, foram abandonados pelo empresário numa tournée ...
um bom tocador de blues só é feliz com o pé na estrada. foi o rumo que tomou roy buchanan, aliás, o melhor dos rumos.

empregado, em tulsa, como guitarrista da oklahoma bandstand conheceu dale hawkins que fazia sucesso com a susie q, a mesma que, mais tarde, roy buchanan descobriria que pertencia a howlin wolf. antes disso, porém, dale hawkins percebeu que aquele garoto levava jeito pro danado do rock'n roll, e contratou buchanan.
trabalharam juntos rodando pelo mundo, tocando, gravaram um compacto e roy buchanan, além de se transformar num verdadeiro músico de rock'n roll, encontrou o que não devia, bebida e drogas.

o trabalho com dale era duro, perfeccionista obrigava-se a repassar a música várias vezes até que ficasse do seu agrado. roy buchanan gabava-se de ser o único que sabia lidar com isso.

o branco que sabia tocar blues seguia sua estrada - um dia, aquele outro branco blueseiro, les paul, comentou: eu nunca havia ouvido algo como o que buchanan fazia na época, e isso despertou muito interesse em mim. por exemplo, ele não tocava um arpejo do jeito que você aprende com o seu professor. ele tinha sua própria maneira de fazer as coisas, tudo sempre de um jeito diferente. não importava se palhetava ou se tocava com os dedos, ele era, com certeza, um guitarrista incomum.

até que um dia uma fã elogiou o modo como ele tocava sua guitarra. casaram-se, ele e judy owens, em 1961.

toda sua competência nunca o colocou nas paradas de sucesso. ironicamente uma de suas canções chegou lá, mas em nome de outro músico, bobby greg, que gravou the jam e a fez sua. a canção possuia vários trechos compostos por buchanan e ele ficou louco empanturrando-se de drogas. nesse meio tempo nasce seu primeiro filho.

mais frustação estava por atacar buchanan e chegou através de um pedal de wah wah que ele viu ser usado num show de hendrix, em 1968. o wah wah buchaniano, patenteado por ele, e que ele conseguia através da manipulação de sua guitarra, desde 1950, estava à disposição de quem quisesse, com ou sem talento, bastando um movimento de pé num pedal.

já com seis filhos, e trabalhando numa barbearia para aumentar o orçamento doméstico, um cliente chegou até ele carregando uma fender telecaster 1953, amarela.
foi amor à primeira vista!!!
ele e sua nancy estavam ali, frente a frente, e ele precisava consegui-la. ela o ajudaria a alcançar a perfeição. ela era simples como ele e, juntos, poderiam criar com liberdade. abordou o cliente, sugeriu uma troca, e prometeu outra fender telecaster mais linda do que aquela - como se fosse possível. conseguiu com um amigo uma de cor roxa e efetuaram a troca.

brian jones, guitarrista dos stones havia morrido e ele foi convidado a substituí-lo, mas recusou. mais tarde alegou que achava difícil aprender o repertório da banda.

em entrevista para um documentário sobre o melhor guitarrista desconhecido do mundo, roy buchanan disse: eu provavelmente nunca me tornei famoso porque eu não me importo se sou ou não famoso. a única coisa que sempre quis foi aprender a tocar guitarra de maneira autodidata. você é que determina suas metas para o sucesso. e quando as alcança não significa necessariamente que você será uma grande estrela, e encherá os bolsos de dinheiro. você sentirá no seu coração se é bem sucedido ou não.

foi por esses tempos que buchanan tocava de costas para o público, com medo que roubassem seu estilo de tocar guitarra.

ele lutou contra a bebida, contra as drogas e contra a indústria musical. todas lhe trouxeram conseqüências, porém, uma delas o matou. um dia, antes de conseguir realizar o sonho de gravar um álbum instrumental, em 14 de agosto de 1988, saiu de casa para comprar cigarros e voltou completamente bêbado. sua mulher, judy, assustada chamou a polícia, ele arremessou o telefone contra a parede e saiu de casa. a polícia o encontrou e levou para a delegacia onde o sheriff carl peed o colocou na cela r-45. ali ele foi encontrado morto, enforcado com sua camiseta. até hoje não foi desvendado esse mistério, pois, apesar da desordem instalada em sua vida, roy buchanan ainda sonhava e nunca havia manifestado desejo de morrer.
tema de peter gun
roy buchanan, sua nancy, uma simples e amarela telecaster, ano 1953, a simplicidade que caracteriza seu estilo e sua técnica peculiar arrisco dizer, sem medo de errar, fizeram o blues, o rock, a música do planeta terem outra graça, outro sentido.
as notas que ele, brilhantemente, tirava das cordas da sua nancy, jamais chegaram aos ouvidos da maioria do público. sou feliz por ter conhecido e por gostar de ouvir o que ele toca.

muitas vezes ele esteve perto de se tornar, publicamente, o maior guitarrista do mundo, e ele foi maior guitarrista do mundo que influenciou john lennon, jeff beck, eric clapton ...

Um comentário:

Discoteclando disse...

e tudo isso usando basicamente uma telecaster, ou seja a guitarra mais básica da história. conclusão: é o guitarrista e não só a guitarra, embora a mesma ajude, rs!!!

 
Template by Mara*
requeri/2010