visite outros bloggs requeri: assadeira manga chupada

domingo, dezembro 21, 2008

the bee gees, um quinteto, o primeiro álbum

mil fãs, mil olhares, mil ouvidos diferentes.

the bee gees é paixão, uma antiga e adolescente paixão.

ele sabe tudo ... barry gibb ... barry gibb ... barry gibb ... barry gibb ... barry gibb ... barry gibb ... um perene caso de amor musicado.

os bee gees, barry e os gêmeos robin e maurice gibb, são uma arquidiosese, um templo triplo, que já foi quádruplo por pouco tempo, quíntuplo por muito tempo e agora duplo, faz um tempo.

os bee gees são a tradução fiel e exata da harmonia, da sonoridade, das vozes perfeitas, dos arranjos perfeitos.


a família gibb morava na austrália desde 1958 e os filhos já cantavam. sendo assim, para alcançar o sucesso o caminho foi longo e percorrido cuidadosamente.
em 1960, um dj local, bill gates, lhes outorgou o apelido de bee gees - bg's - uma simpática e significativa alusão ao nome da família dos rapazes da ilha de man - brothers gibb.
por lá, onde habitam os cangurus, entre 1963 e 1966, houveram apresentações na tv, foram gravados e divulgados alguns singles - 13 ao todo, new york mining disaster dentre eles - e lançados os álbuns the bee gees sing and play 14 barry gibb songs, de 1965 e monday's rain/spicks and specks, de 1966, que carregou o grupo em direção ao showbiz, e pra fora daquela ilha continental. o resultado disso tudo é redondo: 35 músicas.
o nome do disco de 1966 seria monday’s rain e havia sido distribuído. mas, uma nova composição, spicks and specks, deveria entrar no disco e as cópias do monday's rain foram retiradas das lojas.
terminada a fase australiana do grupo, foi feito um álbum com as 9 canções que haviam saído em single mas não tinham entrado em nenhum dos dois álbuns. este álbum é o turn around, look at us, de 1967.

malas prontas, pé na estrada, ou melhor, pés de pato no mar. um navio os levou de volta para o solo dos domínios da rainha e eles cairam nas graças de robert stigwood, não de propósito, ligado a brian epstein, empresário dos quatro de liverpool.

senta, que lá vem estória:
antes, o tempo era outro e os bee gees eram um trio que era um quinteto, que fora um rápido quarteto, ou seja, não se resumiam à família gibb, havia os agregados trazidos da austrália: vince melouney - compositor de such a shame - e colin petersen, respectivamente, guitarra e bateria. o melhor de tudo é que eles saiam nas fotos das capas.

o meu encontro com o trio que era um quinteto, se deu em 1969, quando conheci seu primeiro disco internacional, gravado em londres, em 1967, o the bee gees 1st.
por ser o primeiro passo pra uma
discografia impecável, e o prenúncio de uma carreira perfeita, nenhuma canção ficou de lado aos meus ouvidos e a homenagem aos beatles saltou latente, descarada. o sgt peppers tinha um filho nascido junto, no mesmo ano ... coisas do rock.
contexte quem se sentir no direito ... considero a mais importante e perfeita homenagem que uma banda fez pra outra no decorrer de todas essas décadas. um cover à altura. ... mas, eu avisei, mil fãs, mil olhares, mil ouvidos ...

o the bee gees 1st, the first, alcançou o top ten e nos trouxe duas das mais belas canções mundanas produzidas em família, new york mining disaster 1941 - saudade de maurice gibb fazendo gracinha - e to love somebody. o disco foi lançado com 14 canções mas poderiam ter sido 19, se outras 5 não tivessem sido deixados de lado.

quem guarda tem, quem viveu verá, são frases lapidares, verdadeiras.
depois da morte de maurice gibb, em janeiro de 2003, os brothers gibb, barry e robin, promoveram o lançamento de um pack,
the studio albums 1967/1968, em novembro de 2006, com os 3 primeiros álbuns da fase inglesa do grupo, ou seja, a partir de 1966.
os três álbuns são distribuídos em 6 discos, de 2 em 2, sendo um contendo as canções conhecidas e o outro com as faixas bonus correspondentes a cada álbum - aquelas que não entraram nos discos originais, mas que deveriam.

da foto da capa do pack: antes de ser vendido, a foto estampada na capa do pack gerou discórdia.
já contei num parágrafo anterior, que o trio foi um quarteto e depois, um quinteto e na época do lançamento dos 3 álbuns, the bee gees 1st, horizontal e idea, a formação do grupo era os irmãos gibb, colin e vince.

foi então que alguém achou por bem suprimir, da foto, os dois agregados, vince melouney e colin petersen como se, transformados os álbuns em cd, as faixas teriam arrancadas de si, o som a bateria de colin e da guitarra de vince.

a foto da qual foi apagada a imagem de colin, é uma onde aparecem os gibb e colin, do tempo em que o trio foi um quarteto, ainda sem o vince melouney.

como se os bee gees só tivessem aquela foto, como se colin e vince não tivessem existido ... eles deixaram o grupo em 1969.
coisas do rock'n roll.

a discografia dos bee gees é extensa e a vida deles cheia de preâmbulos e estórias. este foi só um pequeno trecho.


na caixinha do deezer, algumas canções que poucos conhecem e que precisam ser ouvidas.





Discover The Bee Gees!




fotos, aqui

2 comentários:

Monika Baumann disse...

Vim desejar um Feliz Natal pra ti e os seus e um 2.009 cheio de muita paz, sucesso, saúde e realizações.
Bjuuu!

Berenice disse...

Olá querida.

Deliciosos Gibb's!! Adoro! Lembrando também do irmão mais novo Andy Gibb, também cantor, fazia carreira solo mas cantavam juntos às vezes. Ele faleceu muito jovem com apenas 30 anos em 1988, consequência das drogas. Tinha também uma belíssima voz, característica da família Gibb e muito talento.

Aproveito pra te desejar boas festas, a você e seus leitores. Um novo ano de muitas idéias boas!

Beijinhos.
Berenice

 
Template by Mara*
requeri/2010