visite outros bloggs requeri: assadeira manga chupada

quarta-feira, fevereiro 18, 2009

o pasquim ... dando um trato em coisas da minha estória

o texto depois do texto, inteirinho, com imagem, do jeitinho que está, catei no site da p@rtes, a revista virtual. é um dos melhores que aconteceram no pasquim ... um ensaio sobre bicha ... não deixem de ler, tudo!!!

esta lembrança é a representação do que o pasquim é na minha vida e estou utilizando como remissão de um comportamento preconceituoso do passado.
uma publicação no grito vertical do andré, sobre oswaldo montenegro, me fez lembrar: o perfil do leitor do pasquim não era exatamente o perfil do fã do oswaldo montenegro.
stigma, assim como outras mazelas do cérebro humano criadas a partir de preconceito, tabu, discriminação é uma merda. nunca mais caio nessa!!!

Oswaldo Montenegro - Sexo


o pasquim - no aurélio, o verbete está colocado como jornal ou panfleto difamador. sátira afixada em lugar público. jornal pouco importante - surgiu em 1969.
com a morte de stanislau ponte preta, pseudônimo de sérgio porto, a distribuidora do jornal carapuça, que ele editava e assinava os textos que nem sempre eram dele, pediu a sérgio cabral, jaguar e tarso de castro que criassem um substituto.
foi então que tarso, sérgio cabral, jaguar, carlos prósperi, claudius e a secretária, com a feliz função extracurricular de musa inspiradora, dona nelma, juntaram-se e foram a luta.
o pasquim, ansiosamente esperado por nós, semana após semana, foi o maior fenômeno editorial sobre o qual já se teve conhecimento.
1970 foi o auge dos danos e maltratos sofridos pelo semanário.
naquele ano, só pra lembrar, o pessoal do pasquim ... ziraldo, paulo francis, luiz carlos maciel, paulo garcez e tarso de castro foram presos por 2 semanas mas ficaram por 2 meses.
a razão da prisão eles juram não saber, até hoje mas, dizem as boas línguas, tenha sido pela publicação do desenho de jaguar satirizando o quadro de pedro américo, que representa dom pedro proclamando a independência.
os leitores souberam do ocorrido, como sempre, por linhas tortas. uma gripe tomou conta do jornal.
a metáfora era a forma mais usada naquela época, pra revelar ações irreveláveis.
durante a "gripe", o jornal foi mantido pelo millôr com a ajuda de antonio callado, rubem fonseca, glauber rocha, chico buarque ... e mais uma legião de escrivinhadores competentes.
as entrevistas eram o ponto alto das edições do o pasquim. a de leila diniz, foi a mais importante delas, a musa, a minha musa ... gabriel garcia marquez, madame satã, glauber rocha, oscarito, ibrahim sued ...
colaboradores eram tantos que não se pode lembrar todos: henfil, jo soares, chico anisio, vinicius, danusa leão ...


assista ao vídeo ... a estória pelo bom brasil

Imprensa

pasquim.gif (217754 bytes)

O jornal O Pasquim marcou época, em plena ditadura foi um instrumento de combate à censura utilizando muito humor.

Possuia uma equipe de fazer inveja a qualquer um: Paulo Francis, Tarso de Castro, Jaguar, Ziraldo, Millôr Fernandes, Henfil, Ivan Lessa, Ferreira Gullar, Sergio Cabral, Flávio Rangel e muitos outros. Belos tempos.

Veja abaixo um artigo de Tarso de Castro publicado no número 54, de 2 a 8 de julho de 1970.

BICHA

Millôr Fernandes chegou da Europa e é bicha: Martha Alencar é bicha e o marido dela, o Hugo Carvana bicha; o Sérgio Cabral, por sua "vez, tem vergonha, acha que pai de família não deve confessar isso mas eu sei é bicha; o Paulo Francis, que fica fazendo aquele bico, é bicha; o Chacrinha, nem se fala, é bicha; o Gérson mesmo jogando pra burro, é bicha; o Fortuna é bicha, bicha declarada, o Armando Marques é bicha; a tia da namorada do Denner é bicha; a namorada do Denner é bicha; o Denner é bicha; o Edvaldo Pacote é bicha, a Gal Costa é bicha; a Elis Regina é bicha; o Nelsinho Motta é bicha; os Luiz Carlos Maciel são bichas, os Monteiro de Carvalho são bichas; os Monteiro de Carvalho são bichas, menos um, por falta de tempo, o Ricardo Amaral é bicha; aquêle amigo do Ricardo Amaral é bicha; o Jaguar é bicha; o Jaguar é bicha; o Jaguar é bicha; o Jaguar é bicha; o meu contrabandista é bicha; ele é bicha; o Flávio Rangel é bicha; o Pedro Álvares Cabral era bicha; o Antônio Houaiss é bicha; o Ulisses é bicha; o Maneco Muller é bicha; o Fernando Fernandes é bicha; o Vinícius de Moraes é bicha; o Carlos Drummond de Andrade, que ainda não me deu aquela entrevista, é bicha; o Sérgio Cavalcanti é bicha; o Jaguar é bicha; os contatos de publicidade, o Ewaldo e o Paulo Augusto, são tremendas bichas; e o chefe dêles, o Grossi, é bicha; o lvon Cury é bicha; o Daniel Mas, sem qualquer apelação, é bicha; como bicha é, também, o Antônio Guerreiro; o José Silveira é bicha; o Manolo é bicha;

o Chico Buarque é bicha; o Caetano Veloso é bicha; o Gilberto Gil é bicha; o Roberto Carlos é bicha; o Erasmo Carlos é bicha; o Zózimo Barroso do Amaral é bicha; o Jaguar é bicha; a Márcia Barroso é bicha; a Scarlet Moon de Chevalier, digo, a Scarlet é bicha, a Moon é bicha e a Chevalier é bicha; meu Deus, como o Paulo José e Dina Sfat são bichas; ah, sim, o Ênio Silveira é bicha; como esquecer que a Danusa é tão bicha como a Leão; bicha, também, pois, a Nara Leão, e o Cacá Diégues, que é marido dela, é bicha; e o Glauber Rocha, como todos os baianos, é bicha; a Rosinha, mulher do Glauber, é uma tremenda biçha; o Antônio Guerreiro é bicha; o Jaquar, que eu ia esquecendo, é bicha; o José Hugo Celidônio é bicha; nunca vi ninguém tão bicha quanto o Rogerio Sganzerla; bicha, mesmo, paravaler, é o lbrahim Sued, que não pode ser mais bicha; Doval é bicha; Jairzinho é uma bicha radical; falando em bicha: como vai você, Henfil; Minas Gerais é um viveiro de bichas; Ziraldo, por exemplo, quem pode negar? É a maior bicha de Caratinga; aliás, se vocês não sabem, esse tal de Caratinga também era bicha; o filho do Jaguar, tão pequenino já é bicha; também, o professor dêle é bicha, sô; ah, Virgem Santa, o João Saldanha é bicha; o César Thedim é bicha e a Tonia Carreiro, para provar o dito, também é bicha, falando nisso, o John Mowinckel é bicha; e o Pedrinho Valente, embora ainda não saiba, é bicha; a êsse lá sabe: o Ivo Pitanguy é bicha; há alguém mais bicha do que o Sérgio Bernardes? há, o Jaguar; ah, que saudades que eu tenho da bicha Cláudio Abramo; Afonso, Afonsinho, Afonsão, todos bichas; os Afonsos em geral, todos bichas,- tenho melancolia do Rio Grande do Sul porque as bichas que aqui são bichas não são bichas como lá; Olavo Bilac é bicha; o bigodinho do Oscar Niemayer não me engana; é bicha; ora Tom Jobim, vai ser bicha lá com a bicha do Frank Sinatra; como se não bastasse, de bichas, é claro, agora ainda anda por aí aquela bicha da Florinda; a bênção, minha bicha Baden; falando em bicha nada melhor do que uma bicha do Jorge Ben depois da outra; Charles Anjo 45 é bicha enrustida; você é bicha; o leitor, todos os leitores, são bichas; fala, bichonilda Sérgio Noronha; a Olga Savary é bicha e o livro dela é mais bicha ainda; Paulo Garcez é a chamada bicha respeitável; Jango é bicha; Brizola é subverbicha; e a Wanderléia, segundo a bicha do Flávio Rangel não a do no sentido possessivo mas do êle, Flávio - é bicha ternurinha; e quem diria, hem? todos os Macedos Soares são bichas; Rubem Braga anda caindo de tanto ser bicha.

Este parágrafo é bicha.

Por outro lado, Maria Bethânia é bicha; a democracia é bicha; êle é bicha mas eu não sou louco de dizer; salve a bicha mais bicha de Londres, a bicha do Ivan Lessa; o Jaguar é bicha, o Ferreira Gullar já representou o Maranhão no concurso nacional de bichas; todos os componentes do velho PSD são bichas; Paulo Mendes Campos é a bicha mais intelectualizada que eu conheço; falando em bicha, vocês lá viram que coisa mais incrível o gênero bicha-barbuda que é o Carlinhos Oliveira?; bicha para falar a verdade, mas bicha mesmo, é o Hélio Fernandes; criança, nunca verás uma bicha tão grande quanto a Maria Raja Gabália; fala minha bicha Marlene Dabus; você é tão linda, Teresa Souza Campos, mas é bicha, Joaquim Pedro e MeIo Franco e, portanto , bicha, pois todos os MeIo Franco são bichas; a Danusa Leão, insisto, é bicha; olha aqui, ô Matarazzo, não queira me comprar:, tôda a familia é bicha; e tem mais:

vocês lembram da Maysa, ex-Matarazzo? Pois é bicha, bicha é a torcida do Flamengo; e a do Botafogo se existisse, bicha seria; os velhinhos do Vasco são bichas; o Fluminense, vocês sabem, andam de salto alto; todos os brasileiros são bichas; Europa, França e Bahia - tudo bicha; Ásia, África, América e Passo Fundo, tudo bicha; inclusive o Jaguar, tudo bicha; é a maior bichite da história do mundo; que, por sinal, é bicha.

O único macho do mundo é o Nélson Rodrigues.

4 comentários:

Margareth Bravo disse...

Olá Rê!
Que matéria deliciosa! Viajei por tempos e debates intensos, lembranças memórias de minha formação política-cultural, quantos acertos e enganos não? É simplesmente humano. Essa época tinha algo que sinto imensa falta hoje, havia um sentimento de cumplicidade, de responsabilidade coletiva,todo mundo se conhecia, ou conhecia alguém que conhecia todo mundo. Nada passava em branco, para o bem e para o mal. A ditadura uniu os poetas, os sensíveis, os intelectuais, os artistas, os pobres, em suma todas as "bichas" do mundo, como revela o artigo de Traso de Castro. A chegada da "Democracia" velou muito mais as expressões e comunicações do que podíamos imaginar, hoje as máscaras sociais estão à venda nos melhores mercados do ramo, e ficamos como Rentato Russo a perguntar: " Quem é o inimigo, quem é você".
Grandes recordações querida, obrigada! beijos

Giul, Discoteclando disse...

(parafraseando) Ah se todo jornal fosse assim!!!

Junior Silva disse...

Nossa, fico aqui imaginando como pode ter sido essa época. Não pelo que eu vejo na TV e em documentários, mas como seria no íntimo, a coisa realmente pra valer, entre os intelectuais, os pensadores, os músicos...

Com certeza gostaria de ser mais uma "bicha" nesse meio... rsrs

Beijão!

Luiz Antonio André disse...

Você me fez voltar no tempo também. Muitas vezes tive que ler O Pasquim escondido pois algum dedo duro podia denunciar e era cana na certa.
Parabéns trazer esta matéria.
Abraços

 
Template by Mara*
requeri/2010