visite outros bloggs requeri: assadeira manga chupada

quinta-feira, julho 09, 2009

the piano man ... marc cohn

se você voltou aqui é bem possível que tenha gostado. sendo assim, siga-me.

marc cohn é daqueles músicos de ouvir, de dançar, de só ouvir, de cantar nã nã nã, ... ele me empolga em qualquer tarefa, mesmo as que dependem de raciocínio e silêncio.
no blogg, ele veio à tona quando mencionei, recentemente, o filme finding graceland - aqui - cujo tema - walking in memphis - foi escrito por ele ...

prove o sabor, aqui.
não é de hoje que ando na cola do moço. eu já percorria seu caminho quando, em 1992, ele levou o grammy por walking in memphis e quando, em 2005, fui surpreendida pelo infortúnio provocado por um desocupado, que resolveu dar uma incerta no estacionamento da casa de shows, em denver/colorado, onde marc cohn se apresentava e, armado, desferiu um tiro que atingiu cohn e seu empresário/motorista. era a tentativa burra, de lhe surrupiar a van. ambos sobreviveram sob os olhares incrédulos de todos que presenciaram o imbroglio.
se as minhas linhas guardam segredos, não sei, mas que essa parada de piano/voz, voz/piano guarda um monstro melódico delicioso, não tenho a menor dúvida. um fetiche inconfidente. piano man ... a voz e o piano se bastam. recomendo forte, pros que curtem a mistura.
marc cohn não se parece com nada e se parece com tudo. ele é familiar e inusitado, assim como aquele tal q de parecência a peter gabriel.
procure pelo segredo, dentro da simplicidade, dentro do cenário das músicas mais simples, mais musicais, que aludem a um mundo simples e exuberante.
não nego, sou fã de bowie, genesis/gabriel, queen, secos e molhados, the who, yes, os músicos do encantamento apoteótico roqueiro da melhor qualidade mas, a arte musical nem sempre precisa de habilidade cênica e suas alegorias. marc cohn é mais uma prova de que o rock do piano e voz, também se faz notar, se não, o que seria de leon russel, dr. john, ...
as canções são de uma precisão rítmica que não as torna chatas ou monótonas, mas cantáveis ... e quando se canta com a beleza e com a plenitude da música de cohn, é delicioso.
ghost train, por exemplo, já esbarrei nela em algum canto do passado, mas ouço pela primeira vez, de novo, todos os dias. um arrojo balanceante, um piano sinistro, percussivo e infantil, fazedor de gracejos sonoros. melancolia? não só. uma alegria à meio-cinza.

e silver thunderbird??? ah!!! um xodó sem precedentes ... aquelas sequências de piano cadenciado, meio gracejo musical - gracejar é bom - ... um bem pros meus ouvidos ... aqui e aqui.

cohn é música certa, sem contradição.
como tenho feito aqui no blogg, upei algumas canções que você pode ouvir aqui ou levar, se quiser.



3 comentários:

jorge fortunato disse...

Olá Rê
Isso que vale a pena, entrar aqui e encontrar essas preciosidades.
Beijo grande

Cris disse...

Mais um para a minha coleção cultural. Não largo mais do seu pé.
Beijocas

requeri disse...

brigada aos dois ... beijo.

 
Template by Mara*
requeri/2010