visite outros bloggs requeri: assadeira manga chupada

quinta-feira, fevereiro 18, 2010

stevie wonder



d'us é amor.
o amor é cego.
steve wonder é cego.
logo, steve wonder é d'us.
disseram-me que eu sou ninguém.
ninguém é perfeito.
logo, eu sou perfeito.
mas, só d'us é perfeito.
portanto, eu sou d'us.
se steve wonder é d'us,
eu sou steve wonder.
meu d'us, eu sou cego!!!
daqui


se liga no texto, curta o dono de uma das mais perfeitas trilhas sonoras, aquela que define, certamente, uma das realizações máximas da música desde a melhor das décadas, a de 1960 e, com efeito, no mundo em todos os tempos. é o som básico de uma época genial, e a narrativa sonora, reabilitante e pura. este é o perfil de um músico admirável e admirado por todos os músicos e por bastantes ouvintes.
steve wonder, nascido em 13 de maio de 1950 steveland judkins hardaway, na saginaw, do estado de michigan está, agora, no meu rebloggando de cada dia.
steve wonder, a mais pura fantasia da música negra geral da montown dos primórdios, aliás, rima legal com tudo de melhor que a gravadora arrebanhava naquele tempo.
tenho especial fetiche pela banda masculina negra da música mundial, pelo espírito do som que fazem. irresistível a música negra, irresistível steve wonder.
steve wonder, que john lennon carregava no coração como um ídolo, fez o melhor cover de we can work it out - lançada em compacto que continha day tripper do outro lado - melhor que os próprios beatles.
nota da autora: assim como richie havens que tem versões de músicas dos 4 de liverpool, insuperáveis.






como se lê, não sei ficar calada. um puxa o outro e eu devaneio. o rock provoca isso em mim.


requeri

2 comentários:

Cris Travassos disse...

Rê,

Cada visita uma surpresa! O Steve é bom demais. A gente dança, ri e chora com ele. Emoções transmitidas por quem sabe o que faz.

Beijocas

Daniela Figueiredo disse...

Adorei a tosquice irresistível! Steve Wonder é o cara. Uma vez assisti a uma reportagem que contava a experiência que ele teve ao dirigir o carro do filho. O filho não queria, mas Steve teimou, teimou e convenceu o filhote. Resultado: bateu o carro, claro. Quando o guarda chegou, perguntando sobre o acidente, ele culpou o filho, que indignado disse que era o pai quem dirigia. "Mas eu sou cego, como eu vou dirigir?", indagou o sacana Steve Wonder. Bem humorado ele é, isso ninguém pode dizer o contrário! E talentoso também.

Beijos, Rê.

 
Template by Mara*
requeri/2010