visite outros bloggs requeri: assadeira manga chupada

sexta-feira, julho 13, 2012

dia mundial do rock'n roll

bob geldof, da boomtown rats, a banda tocadora de um dos mais belos e sugestivos rocks da minha vida, um hino ao weekend ... i don't like monday ... inventou, com midge ure, o live aid pela etiópia, em 1985. naquele dia - 13 de julho de 1985 - um bom tanto de gente do rock se revesou na cantoria em dois interessantes pontos do planeta: o estádio jfk na philadelphia/usa, e o estádio wembley london/uk.
desde o momento em que nêgo pôde espalhar talento pelo mundo numa realização e propagação de pura arte, música rockeira da mais alta qualificação, sem limites, naquele imbroglio bom, a empolgação subiu à cabeça. já que é assim - e eu tento ser democrata - ele, o dia do rock se fez. se para muitos é o que importa, e se ele existe para pelo menos quem quiser que ele exista, sem obstáculos, que seja feita a festa.
quanto a mim, continuo assim, tomando cuidado transcendente no manuseio dessas coisas de dia certo, sem premiar as projeções de mundo perfeito, e sem fazer triunfar os dias, os títulos, os rótulos. prefiro arquitetar naturalmente sobre o que será o meu dia ou o dia do blogg, hoje, sem premiar atos ou acontecimentos atrelando-os à vida das pessoas.

uma banda pra destacar:
a frase em latim, in statu quo ante bellum ou estado atual antes da guerra, é a origem do nome da banda,
status quo - estado em que se encontra.
sobre o estado em que se encontra a banda das duas guitarras uníssonas, hoje, não há como negar ... é musical, pura e amplamente musical.
pronto!!!

status quo com.br
status quo ... aqui, um texto interessante

alguns frequentadores do blogg perguntam porque me atenho a dissertar sobre rock de gringo. e os brazucas??? a conversa beira ao tédio pq se não for titãs, paralamas, pato fu, kid abelha, legião e angra fica difícil - confesso que negligencio com estes à favor daqueles. então, dizia eu, não dá pra satisfazer àquela gente que não entende nada de rock em nome da brasilidade. não é por aí.
tenho não mais que 59 minutos para escrever este texto - pauca, sed bona, em latim castiço, uso como intróito, para prevenir sobre um texto que fala pouco, mas fala bem. é domingo, e está povoado pela atração permanente, o benhê. dias atribulados, esses recentes.
francis rossi é o vocalista chefe da banda inglesa status quo ... de duas guitarras dançantes e cantáveis. rock agitado, eficiente, rock simples e exuberante - quadrinha contraditória, mas verdadeira.
tudo começou com the spectres, em 1962, que virou traffic jam. depois disso, em 1966/1967, a banda passou por uma transição e, de traffic jam, transforma-se em the status quo com, alan lancaster na voz e baixo, roy lynes nos teclados, john coghlan na bateria e francis rossi dividindo com seu amigo rick parfitt, voz e guitarra. ... e eu a conheci.
com os álbuns lançados entre 1969 até meados da década de 1970, a status quo deitou no sucesso. os cabelos cresceram, e os jeans substituiram as roupas coloridas.
ao longo dos anos, entre abandonos e agregados, a verdade é que a status quo é rossi e parfitt.
por conta da forte ligação entre ambos, a status quo segue a vida contando uma estória confiante, calcada naquela amizade. apesar disso, dissolve-se em 1984 mas, em 1985, reune-se para participar do live aid.
live aid ... rockin'all over the world
live aid ... as duas guitarras do quo em caroline
o álbum rock till you drop, de 1991, é uma interessante produção de rossi que faz lembrar os velhos tempos da banda e serve pra comemorar os seus 25 anos, ou seja, tendo como base 1965, ano em que rossi e parfitt se conheceram.

ouvia-se dizer muita coisa sobre artistas do rock, lá pelos idos de 1960, 1970 e, até, 1980, tempos pobres em comunicação. muitas estórias eram contadas através de revistas especializadas.diz a lenda que a banda cumpria um ritual singular como batismo dos integrantes novos do grupo. para que o novo músico ficasse inteiramente à vontade, todos se reuniam e praticavam masturbação coletiva. uau, que puta lenda!!!

ouça!!! ... in the army now
hoje sua formação corresponde a, francis rossi/1962, rick parfitt/1965, andy bown/1973, john "rhino" edwards/1985 e matt letley/2000. sempre liderada pela dupla de guitarristas cantores, a banda segue sob um costume antigo: o ano inteiro, pé na estrada, dezembro é reservado para turnê na inglaterra.
dois vídeoclipes absolutamente incríveis, cujo toque expõe a verdade e o mais notável elemento da quo, a guitarra, e o espírito dos beach boys, o vozeirio, é o prêmio que o rebloggando recebeu, e divide com seus leitores. quem diria!!!trata-se de fun fun fun, um barulho bom, dos donos da prancha. são duas versões. além delas, uma página com tablaturas para guitarra e as letras do quo.
click ... click nos links.
beach boys & status quo
beach boys & status quo

em pleno dia mundial do rock, é o que eu queria dizer.

2 comentários:

Cris Travassos disse...

Rê, valeu à pena publicar um texto nesse domingo. Muito boa a escrita, a música e a lenda. Bjks

requeri disse...

valeu minha fiel escudeira ... gostei do seu cabelinho ... bj.

 
Template by Mara*
requeri/2010