visite outros bloggs requeri: assadeira manga chupada

sexta-feira, dezembro 21, 2012

pelo aniversário de carl wilson ... the beach boys

beach boys
cutuque o rádio, e ouça os beach boys

a rivalidade entre beatles e rolling stones, nos primórdios, não passava de retórica midiática, e não ia além dos gritos das fãs roucas e descabeladas torcendo pelos meninos comportados de liverpool, ou pelas rebeldes e malvadas pedras rolantes que, partindo de londres, destroçavam tudo o que encontravam pelo caminho.
tal concorrência era, tão somente, fruto da meta a ser cumprida pela mídia que, ontem como hoje, precisava levar o leitinho das crianças pra casa.

quem viu, prá valer, sabia que a verdade estava distante daquela ilha, em outro mais turbulento e carismático oceano, num recanto bem diferente da circunspecta liverpool. estava, sim, sob o céu ensolarado da hawthorne californiana e atendia pela alcunha de the beach boys, os 5 caras que, numa daquelas reuniões familiares que só o rock'n roll sabe promover, constituem a melhor banda de rock da outra ponta do mapa mundi.

o mais importante álbum da música do planeta, a obra escrita pelas mãos de d'us, não existiria, caso não existisse brian wilson, amigo e admirador, o maior de todos, que paul mccartney poderia ter, o criador do segundo álbum mais importante da música terráquea.
mesmo assim, sgt peppers, aquele que mexeu com a vida de todos nós, pobres e incapazes mortais, esparramou brian wilson, o gênio dos beach boys. foi aí que ele achou ser incapaz de superar uma obra divina.

robber soul, foi o intensificador da guerra cujo tiroteio atravessava atlântico e pacífico fazia tempo. ao escutá-lo, brian wilson respondeu com pet sounds, um beach boys vindo à luz aos 16 de maio de 1966 que, junto ao sgt peppers, é citado como o marco da transformação da música moderna. ele é considerado o segundo mais importante álbum de todos, conforme classificação da revista rolling stone tendo à frente, apenas, um certo sargento apimentado.

pet sounds foi a superação da genialidade, a tentativa sobrehumana de um gênio em superar a obra de outro gênio.
li, e vem a calhar, em o náufrago de thomaz bernhard: de fato, não há nada de mais medonho do que ver uma pessoa tão grandiosa que sua grandiosidade nos aniquila, ter que assistir a esse processo, suportá-lo e por fim acabar inclusive por aceitá-lo, ao mesmo tempo em que na verdade não acreditamos num processo desses, não enquanto ele não se torna para nós um fato irrefutável, (...) quando então já é tarde demais.
porém, o primeiro não esperava pela reação do segundo. para paul mccartney, pet sounds foi a razão de outro tiro certeiro ... sgt pepper's lonely hearts club band, o primeiro álbum que trazia as letras impressas num encarte. o primeiro que tinha as faixas ligadas de maneira a não existir interrupção entre as canções.
quantos e quantos durangos deste país passaram horas ouvindo, de carona, as músicas em alguma loja, ou copiando as letras, disfarçadamente posicionados junto a um apoio qualquer, sob o olhar reprovador de algum gerente???

pet sounds, o álbum, modificou as técnicas de gravação em estúdio e deixou aflorar a temática da introspecção da harmonia e do rítmo bem elaborados baseados no jazz, e na música erudita.
leonard bernstein, o maestro de west side story, aclamava brian wilson como um dos maiores compositores do século passado.

dizia, certa vez, brian wilson: tenho de pedir desculpas pelo meu comportamento, mas não gosto de falar com jornalistas. na verdade, não gosto muito de falar com as pessoas. meu jeito de se comunicar é pela música. por isso acho o lançamento de smile tão importante. não sei se o álbum é o melhor da história, na verdade, pouco me importo com isso. o que eu quero é transmitir o amor daquelas melodias para as pessoas. sabe, o amor é que importa. as pessoas têm que ter mais amor em suas vidas.

contam, à boca pequena, que enquanto compunha, recluso, canções para smiley smile - vegetables, good vibrations ou wonderful - a obra prima suprema que não era mas que deu na que é, depois da monolítica e intimista pet sounds, brian encontrou-se com o amigo paul mccartney que lhe mostrou uma das canções do disco, she's leaving home. o wilson mais brilhante sentiu-lhe faltar o chão dos pés, assim como acontece como a mãe fujona da canção.

na verdade, não à toa, já que a preocupação dos garotos voltou-se para a interpretação vocal, não para o desempenho instrumental que ficou por conta de músicos agregados, pet sounds é considerado por paul mccartney, como o melhor disco vocal jamais gravado e foi o detonador de sgt. pepper’s lonely hearts club band.

como se não bastasse, a obra dos beach boys de 1966, conta com uma canção, god only knows, considerada por paul, como a mais bela canção que já escutara, para todo sempre. paul mccartney, maravilhado, diz que god only knows foi a única canção que o fez chorar: me fez chorar de verdade. eu gosto tanto daquele álbum. comprei uma cópia para cada um dos meus filhos. ninguém está educado musicalmente até ouvir pet sounds. em pet sounds foram utilizados mais de 30 instrumentos para que o trabalho em vinil atingisse aquele nível artístico. um álbum de delicadeza extrema digno de tocar nas nuvens.

somente o rock'n roll conta estórias assim.

pet sounds é um trabalho totalmente diferente daquele que o grupo fizera até então. especialmente o vocalista, mike love, foi contrário ao álbum. a própria gravadora, a capitol, não queria assumir pet sounds. no entanto, em 16 de maio de 1966, ele foi pras vitrolas dos fãs, com as composições intimistas de brian wilson, que romperiam com tudo o que o grupo tinha feito até então. brian wilson chegou a cogitar de fazer um trabalho solo.

pet sounds foi, como todos os discos dos garotos comandados pelo gênio da praia, gravado em mono. brian wilson é surdo de um dos ouvidos - ele fala muito sobre o amor mas pouco provou tal sentimento. adolescente, no início de sua criação para o futuro sucesso dos the beach boys, ele e seus irmãos denis e carl sofriam violência física e psicológica em casa, assim como o primo mike love e o amigo al jardine. parecia um hábito comum. brian, no entanto, apanhou tanto que ficou surdo de um ouvido. por várias vezes se tentou reeditar pet sounds em estéreo mas, devido à resistência imposta pelos fãs, isso nunca aconteceu.

voltando a ser repetitiva, em verdade lhes digo: pet sounds é considerada hoje, apesar do seu fracasso comercial na época, a segunda maior obra do rock'n roll.

gênios têm o poder de ser geniais e criar obras fantasticamente geniais tanto quanto têm o poder de implodir.
brian wilson, aos 22 anos havia causado grandes mudanças na música folk americana e, aos pouco mais de 22 anos, apresentava sintomas de paranóia, depressão, enorme dificuldade pra se relacionar, alucinações ... por muitos anos passou ao largo da vida em sociedade e, não inesperadamente, tornou-se incapaz de produzir o que quer que fosse.
a obesidade e as drogas estavam longe de ser complacentes com o gênio musical. enquanto isso, paul mccartney, pós sgt peppers continuava, humildemente emocionado, apontando god only knows como a mais bela canção que escutara.


Nenhum comentário:

 
Template by Mara*
requeri/2010